23.1.17

Produtos e Cosméticos naturais:
sabonetes de alecrim

No início do mês, fui almoçar com uma amiga num restaurante vegano. Não sou vegana, mas adoro a comida que, além de gostosa, faz bem à saúde. Enquanto almoçávamos, minha amiga comentou sobre produtos de beleza "não é estranho que a gente não pode colocar na boca o que passamos no corpo? sendo que o corpo absorve essas substâncias do mesmo jeito"

Concordei tão absolutamente que, a partir dessa conversa, fiquei analisando os produtos de beleza que uso e notei como não sei o que mother fucker passo na minha pele. Não sei nada sobre os ingrediente, o quanto daquilo é absorvido, o que pode causar - a mim e ao meio ambiente... Fomos falando sobre isso e listando vários produtos que causam mal, como desodorantes antitranspirantes.  

Depois dessa conversa, optei por experimentar alguns produtos 100% naturais. A primeira escolha foram os sabonetes da loja Coelho Branco. Comprei de Alecrim e, olha, o sabonete é incrível. Hidratante, com um cheiro marcante de Alecrim, uma textura macia na parte superior e áspera no fundo (por causa das folhinhas da planta), no qual uso para esfoliar a pele. 

Conversei com Deborah Viegas, criadora da marca, para saber mais sobre os sabonetes e sobre produtos naturais. Resultado? Essa entrevista gostosinha para o blog. Espero que goste! ♥


Como surgiu a ideia de fazer sabonetes naturais?
Quando eu comecei a me perguntar o que verdadeiramente a palavra "trabalho" significa pra mim, percebi que o meu objetivo está além de trabalhar com o que gostaria de fazer todos os dias, mas produzir algo bom: somar. Sou vegetariana há 02 anos e desde então isso tem se tornado o ponta pé inicial para uma maior conscientização. Da mesma forma que um alimento industrializado não traz benefícios ao nosso corpo, os cosméticos produzem o mesmo efeito. Ao estudar sobre isso com mais afinco, percebi que não era só a minha alimentação que eu deveria prestar atenção, não é só pelos animais, é mais do que isso; é sobre estarmos presos as piores opções para o nosso bem estar e nem sermos avisados sobre isso. Quando caiu a ficha, conclui que ao fazer esses produtos eu ofereço oportunidade as pessoas de conhecer a beleza natural sem necessariamente se prejudicar ou abdicar da vaidade que todas nós amamos.

Conta um pouco da sua trajetória. Como foi os primeiros passos? Fez algum curso?
Onde eu moro, em Recife, é difícil encontrar muitas opções de cursos em uma área tão específica. Você encontra cursos sobre sabonetes artesanais, mas eles não são veganos, muito menos naturais. Por sorte, uma moça de outro estado estava viajando por várias cidades para oferecer este curso de cosméticos naturais onde ela não ensinaria como fazer apenas sabonetes, mas uma imensa variedade de produtos naturais. Fiz, mas foi apenas o introdutório, a certeza de que eu queria aquilo. Para vender, para atrair, eu precisava estudar muito mais. Então comecei a pesquisar, comprar alguns livros, fazer outros cursos até mesmo estes que não são naturais para verificar a diferença e o que posso absorver dele e testar. O que eu mais aprendi não foi nos cursos, mas na prática. Cada vez que eu faço, eu aprendo algo diferente, um jeito melhor de fazer, este é o segredo. 


Quais componentes você usa para fazer um sabonete como esse de Alecrim e quanto tempo leva para ficar pronto?
É uma junção das propriedades que compõe o óleo essencial de Alecrim, um estimulante e antioxidante, óleo de semente de uva, que regenera a pele e combate o colágeno, base glicerinada vegetal e ervas desidratadas. Em média, levo três dias para o sabonete ficar pronto, pois faço o chamado cold process ou saponificação a frio. 

Além dos sabonetes, quais outros produtos você faz?
Faço Aromatizadores de Ambiente em spray. Assim como sabonete, também utilizo óleos essenciais o que o torna aromaterapêutico. Cada um torna-se sugestivo para um determinado ambiente, por exemplo, o de Alecrim é ideal para deixar no escritório, pois ele estimula a concentração.

Daqui a 10 anos, o que você espera em relação ao uso de produtos naturais? 
Há 10 anos atrás, eu não escutava nem mesmo a palavra "vegetarianismo", "vegano", talvez um "natural", "orgânico". Mas pensar em parar de comer carne pra mim era algo fora de cogitação, eu já considerava como algo obrigatório em meu prato. Hoje em dia, restaurantes veganos abrindo na cidade onde moro, países como a India que, desde 2013, tornou-se a primeira cidade vegetariana do mundo onde é proibido o abate de animais e além disso,  a Alemanha já possui cerca de sete milhões de vegetarianos no país!  A partir disso acredito que o mundo só precisa de que seja entregue em suas mãos boas opções e com isso apresentamos ao próximo o sentimento de bem estar pelo consumo consciente. 

Se há este avanço na comida, acredito que logo logo estaremos buscando mais opções. Temos hoje marcas de bolsas, roupas, cosméticos e maquiagens sem o uso/exploração de animais para sua produção. Eu sempre pensei que já era difícil  pensar na alimentação e se preocupar com os cosméticos era demais porque ou eu fazia ou eu simplesmente não tinha porque o Industrial tá em todo canto, mas se faz bem, e de onde veio, nunca vamos saber. Então comecei a fazer, gostei e penso apenas em uma coisa "as pessoas precisam de mais opções e se eu posso fazer isso por elas, por que não?". 

Que orientações você daria para alguém que deseja fazer os próprios cosméticos orgânicos, veganos etc.? 
Hoje em Dia a gente aprende qualquer coisa na Internet e somos a geração que prova isso a todo momento, a informação está ao nosso lado, não é nenhum bicho de sete cabeças e você pode fazer sim! Reserve um tempo para recarregar o seu estoque e encare como uma terapia e não como uma perda de tempo, encare como cozinhar sua comida e saber de onde ela veio e como foi realizada, encare como ganhar uns 10 anos a mais e até mesmo como um investimento na sua saúde. 



Ahhh,  Deborah  contou que o nome, Coelho Branco, é por causa do amor que ela tem pela história de Alice no País das Maravilhas. "Eu queria que a marca fosse uma coisa fofa e remetesse ao natural. E no livro de Alice, ele é chamado de White Rabbit"

✗ inf ✗
Coelho Branco, 100% natural | Instagram

beijo,

4 comentários

  1. Gostei muito da entrevista. Tem uma parte interessante que ela diz que há 10 anos atrás nem ouvia falar sobre vegetarianismo, vegano e é verdade. Eu tenho esperança no futuro do consumo. Acho que as pessoas, digo isso por mim e por amigas próximas, estão ficando mais conscientes. Buscando outras alternativas e questionando mais o processo de produção das marcas. Isso vai trazer melhorias para todos os lados. Amei conhecer a marca e sua criadora.

    Bjs
    http://belsantanna.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Isabel. O processo é lento, sabe? Esse de ter mais consciência sobre o que consumimos. Mas é cada vez mais visível a mudança.

      Fico feliz que tenha curtido. bjs.

      Excluir
  2. ai, que bacana!
    amo tudo ligado a cosméticos naturais e orgânicos. conhecer marcas novas e empreendedores que carregam uma visão mais altruísta é importantíssimo e essa visibilidade que vc oferece é essencial pra que mais pessoas as conheçam, entrem em contato e difundam cada vez mais um modo de pensar e viver mais consciente, né não?

    vlw por compartilhar
    bjas

    www.umtoquepravoce.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim sim, Grazi. É importante trazer para nossas rodas de conversas assuntos como esses. Viva o compartilhamento de conteúdo hahaha

      Excluir

Copyright © Ensaio de asas
Design edited by Bruna Sarga Illustration by Klika Boutique