20.4.16

as vezes é preciso desacelerar


Quando estamos insatisfeitos com o nosso trabalho ou com a qualidade das coisas que tentamos/gostaríamos de fazer - no meu caso, por não saber mesmo -, precisamos voltar duas casas para analisar e estudar o caminho que desejamos seguir. Recuar é necessário. Desliguei minha cabeça do conteúdo do blog, entre outras coisas, a fim de ter mais tempo para me dedicar a questões que, no final, traz mais qualidade para minha vida e, de tabela, para o blog.

O andamento do aprendizado não terminou - inclusive, é infindo -, mas depois de um período compreendi que não dá para esperar a perfeição para começar a se mexer. Afinal, conhecimento sem aplicação, sem ação não é nada, apenas dados.

Nesse tempo, "longe do blog, entre outras coisas", vivenciei experiências maravilhosas. Fiz um curso de Mindset Coach, no qual pude olhar dentro de mim e perceber como as coisas estavam caóticas.

O orientador do Mindset Coach que participei,  Jéfte Amorim, definiu o curso da seguinte forma:
“mindset” (ou “modelos mentais”), que é o conjunto de caminhos comportamentais (e redes neurais) estruturados a partir da nossa forma habitual de pensar, sentir e agir. E todo mindset - não importa qual - é construído a partir da nossa comunicação conosco e com o mundo. Se nos comunicamos melhor, isto é, se gerenciamos melhor nossas emoções e seu impacto nas nossas habilidades de linguagem, podemos transformar quem nós somos no mundo.

Inferir a si própria, admitido, é muito doloroso. Principalmente quando você está cheia de receios, medos, dúvidas e até certezas que depreciam quem você é ou quem deseja ser. Bem como recuar é necessário, analisar-se também é.

Li vários livros - pretendo fazer resenha de todos -, alguns deles falam sobre meditação. Me apaixonei pela prática. A leitura esclareceu muitos mitos que pairavam a atividade com relação a suposta Iluminação/Religião. Entendi meditação como exercício mental regular que ajuda, e muito, na forma de pensar, sentir e reagir. O que é maravilhoso, pois a bonita aqui, as vezes não tão raro como eu gostaria, comporta-se como um trator desenfreado: dessa que grita, xinga e gesticula. No momento estou meditando de 15 a 20 minutos todos os dias.

Finalmente comecei a estudar fotografia, com livros e vídeos/cursos da eduk notei que eu realmente não sabia nada sobre a câmera, apenas apertar um botão. Levei a minha SLR reflex (Pentax K1000) no conserto - é parecida com as DSLRs, tirando o D de digital, claro -, possui lentes intercambiáveis, desempenho mecânico, exceto para o funcionamento do fotômetro e utiliza filme 35 milímetros. Ótima para aprender a fotografar. Ruim pelo fato de usar filme, item difícil de encontrar no mercado.

Confesso que fiquei pensando se falava sobre isso ou não porque me dá um sono imaginar que todo esse tempo sem produzir conteúdo afastou potenciais leitores. E quando alguém vier aqui vai ver textão pessoal - desses com a sujeira do umbigo da autora -, e achar que aqui é um mi mi mi sem fim. Até é, mas nem sempre. Muita coisa sucedeu - dentro e fora da minha cabeça - e quero muito compartilhar essas experiências com você. Ou seja, a regularidade dos posts vai voltar ao normal, semanal, todo bonitinho.

Também decidi falar escrever porque talvez você também precise recuar, mas fica com medo de desacelerar e cuidar de si. Entenda, tudo bem se isso for necessário. Tudo bem mesmo.


foto de Dominik Martin

2 comentários

  1. eu AMO posts bem pessoais, que falam de coisas boas, das bads que batem, da vida :) faz a gente se sentir mais pertinho de quem escreve ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre me dá um medinho de escreve-los, de se expor demais.

      Excluir

Copyright © Ensaio de asas
Design edited by Bruna Sarga Illustration by Klika Boutique