26.4.15

Bazar de Quintal

Teve bazar ontem? TEVE SIM SENHOR! 


Na última postagem, falei sobre o bazar de quintal que aconteceria em Olinda no sábado. Quem foi conferir não se arrependeu. Mesmo que não tenha levado nada - praticamente impossível -, as pessoas puderam curtir o lugar, a música, as comidinhas, o amor, os amigos e todo astral do quintal para relaxar. Tem gente que gosta de passear em shoppings, eu prefiro mercados, parques, praças e bazares.

Fiquei apaixonada com os detalhes. Os cantinhos das lojas que fizeram parte do bazar, estavam com bandeirinhas, lenços, quadros e tantas coisas lindas que dava vontade de comprar tudo. Porém, eram apenas objetos de decoração.

Tirei tantas fotos, tantas, que foi muito difícil decidir qual viria para o blog. Quem tem blog sabe o quanto é complicado fazer o papel de editor e selecionar aquilo que você acredita ser o melhor para os leitores. Infelizmente não dá para sair colocando tudo. O post tornaria-se infinito. Eita, mulher exagerada! Então, para colocar o máximo de registro, decidi fazer duas postagens: uma sobre o bazar e a outra sobre as minhas comprinhas (não foi muita coisa, mas vale a pena compartilhar com você).

Aháaaaaaa! Bateu a curiosidade, né? Relaxa, vou deixar sinais do que comprei nessa postagem hahahaha. Mas só em outra, colocarei os detalhes.

Vou começar mostrando o cantinho do Pepita Garimpo. Que amor. Para cada objeto do Pepita, uma história maravilhosa. João, esse moço de camisa étnica na foto abaixo, o garimpeiro e dono da loja, fala sobre as peças com muito carinho. Tinha de tudo: caixinha de perfumaria francesa, que pode ser usado como porta joias, binóculo alemão, telefone com discador (funcionando, viu? todos os telefones, além de servir de decoração, funcionam perfeitamente), grades, placas com nomes de ruas decorativas, painel de azulejo etc. 

Uma das histórias que mais me emocionou foi sobre um dos painéis de azulejo. Muito apagadinho, e talvez por isso, não fazia tanto sucesso entre os clientes, era o único painel que não vendia. Tudo bem, João não descarta nada. Todos os objetos são relicários. Esse painel era do antigo cefet, agora IFPE. Nada tão importante. Um dia, uma mulher, entrou em contato com João, desesperada querendo comprar o azulejo. Ele ficou curioso e perguntou por que ela queria tanto ele. 

Bem, a tal mulher era noiva, estava prestes a se casar. O azulejo era do local onde ela conheceu uma pessoa muito especial: o futuro marido. Ela queria colocar na casa dos dois, como lembrança da época que se conheceram. 

Daí você percebe que cada objeto tem uma história linda. Queria mostrar e contar todas elas, mas esse post ficaria infinito. Então coloquei algumas imagens para você.



Essa foto quem tirou foi um amigo meu, Victor. Esse cara, com o violino na mão, toca muito.

Outro cantinho amor, foi o das meninas do Coralina Store. Cada peça linda. E os acessórios? morri, morri, morri... Aneis, colares e vários acessório boho lindos de viver #queriatodos


E por fim, não menos importante, deixando claro que faltou muuuuuita coisa aqui, o cantinho "O Relicário". De fato, o Relicário já é uma loja bazar, loja física mesmo que fica na rua 17 de Agosto, nº 1780 em Recife-PE. Eles também participaram do Bazar de Quintal, e levaram coisas lindas para lá, entre roupas, calçados, acessórios etc. 

Deixei essa loja por último, para dar uma dica: se você, assim como eu, ama bazares, vale muito a pena visitar esse. Funciona durante a semana em horário comercial. 

Deu para perceber a beleza do evento. Em breve postarei outras fotos falando sobre o que comprei no bazar. Mas por enquanto é isso. 



beijos,
Bruna

Postar um comentário

Copyright © Ensaio de asas
Design by Bruna Sarga